Política

Terça-feira, 10 de Abril de 2018, 17:58

Tamanho do texto A - A+

CAMPO NOVO DO PARECIS

Lideranças do agronegócio na Parecis SuperAgro cobram atenção do Governo de Mato Grosso para saúde e conectividade

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

Foto: Assessoria Parecis SuperAgro

Parecis SuperAgro

Campo Novo dos Parecis responde por R$ 38 milhões da contribuição com o Fethab, lembrou Giovana Velke.

"Gostaria de fazer um pedido singelo ao governador: olhe para Campo Novo com um ‘olhar de mãe’, precisamos de atenção, nosso hospital precisa de investimento, é para nossa comunidade governador". O pedido em questão foi feito pela presidente do Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis, Giovana Velke, durante a abertura da 11ª edição da Parecis SuperAgro, na manhã desta terça-feira, 10 de abril, que destacou a dificuldade de conectividade como um dos gargalos da região. A feira em 2018 tem como foco a tecnologia a serviço do campo. Durante a solenidade de abertura autoridades políticas e líderes do agronegócio se uniram em busca de investimentos para a região e a melhoria em conectividade.

A região de Campo Novo do Parecis é considerada a com maior diversidade agrícola do Brasil, mais precisamente de 2ª safra. A região de Campo Novo do Parecis é hoje reconhecida internacionalmente por ser responsável por 80% da produção de girassol e 80% do milho pipoca do país. Além disso, está ganhando destaque pelos investimentos de produtores na produção de grão-de-bico.

A abertura da Parecis SuperAgro na manhã desta terça-feira, 10 de abril, contou com a participação de diversas autoridades e lideranças do agronegócio. Na ocasião a presidente do Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis, Giovana Velke, destacou que a região é responsável por cerca de R$ 172 milhões da arrecadação do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab).

"Sozinha, Campo Novo responde por R$ 38 milhões de contribuição com o Fethab. O que revela grandiosidade e a necessidade de atenção maior que temos", disse Giovana Velke.

A presidente do Sindicato Rural cobrou do Governo de Mato Grosso atenção para a região. "Gostaria de fazer um pedido singelo ao governador: olhe para Campo Novo com um ‘olhar de mãe’, precisamos de atenção, nosso hospital precisa de investimento, é para nossa comunidade governador. Com relação aos gargalos que trouxemos para dentro da feira, hoje vivenciamos esse problema sério que é a falta de conectividade. É um gargalo que impede que esses números citados sejam ainda maiores, pois a agropecuária cada vez mais precisa da tecnologia e da conectividade para dar resultados. Temos tecnologia de ponta nas fazendas, mas não conseguimos usar por falta de conectividade".

A Parecis SuperAgro segue até o dia 12 de abril. A feira, uma das principais do agronegócio e de tecnologia voltada para o campo em Mato Grosso, é uma Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e tem como tema central "Revolução Digital no Campo: Como acompanhar essa transformação".

Foto: José Medeiros/GCom-MT

Taques parecis superagro

O governador Pedro Taques pediu "desculpa" por não ter resolvido todos os problemas do Estado em seus três anos e três meses de gestão.

Em seu discurso, o governador Pedro Taques pediu "desculpa a todos por não ter resolvido todos os problemas de Mato Grosso nesses três anos e três meses, pois muito ainda precisa ser feito, mas acredito que o trabalho é peça chave para a solução".

Ainda segundo o Chefe do Executivo mato-grossense, "É uma honra estar presente na abertura desta feira tão importante, que a cada ano apresenta um grande crescimento, mostrando a força e eficácia do setor produtivo. Sem conectividade não se faz desenvolvimento, inovação e conhecimento. Existe um programa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), e o Governo do Estado está presente apoiando para fazer essa ligação e, hoje, estamos aqui para fazer essa demonstração".

Multiplicação de conhecimento

Na avaliação do presidente do Sistema Famato, Normando Corral, a Parecis SuperAgro "é algo sublime da produção e uma grande oportunidade para multiplicar o conhecimento, não apenas entre o setor agropecuário, mas na sociedade em um todo. As discussões aqui realizadas impactam no cotidiano das pessoas e no futuro do Brasil".

Presente na abertura, o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja Mato Grosso ), Antônio Galvan, frisou que "Precisamos levantar a cabeça e fazer Mato Grosso ser grande. Campo Novo do Parecis é um município dentro do estado com um imenso potencial, assim como outros municípios".

Foto: Assessoria Parecis SuperAgro

Parecis SuperAgro

A Parecis SuperAgro segue até quinta-feira, 12 de abril, em Campo Novo do Parecis.

O presidente da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Alexandre Schenkel, disse que "Essa feira valoriza o agronegócio de forma geral e traz as melhores e mais recentes tendências tecnológicas do mercado. Todos os envolvidos estão de parabéns por todo esse trabalho que resultou nesta grande feira".

Dia de Campo e as vantagens do ILPF em Mato Grosso

O crescimento e as vantagens do sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) é um dos destaques da Parecis SuperAgro em 2018, tanto que um dia de campo foi realizado na segunda-feira, 09 de abril. O fato foi lembrado pelo diretor executivo da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari. "Em nome da Acrimat, agradeço pelo convite e oportunidade de falar de pecuária dentro da Parecis SuperAgro, reforçando o conhecimento da Integração Lavoura-Pecuária (ILP), em uma feira técnica voltada para o produtor rural de Mato Grosso".

Conforme dados do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), a região Oeste de Mato Grosso, onde Campo Novo do Parecis está localizado, possui um rebanho estimado em mais de 4.700.000 de cabeças de gado.

O dia de campo foi realizado na Fazenda São Paulo, em Brasnorte. A iniciativa foi uma parceria da 11ª Parecis SuperAgro e da Embrapa.

A Fazenda São Paulo é hoje referência pelo uso do sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e destina 50 hectares de sua área para consorciar, eucalipto, teca, mogno africano e criação de gado.

Hoje, o Brasil possui mais de 14 milhões de hectares destinados ao sistema de integração, seja ele Lavoura-Pecuária (ILP) ou com Floresta (ILPF). Mato Grosso possui 1,7 milhão de hectares cultivados, aproximadamente, no sistema, enquanto Mato Grosso do Sul lidera com 2 milhões de hectares com sistemas integrados.

"Eu sou um homem que gosta de modificar, melhorar e quantificar o sistema. Ainda não posso dizer que os resultados futuros serão os melhores, mas estou confiante e a sombra que essas árvores fazem para os animais, paga parte do esforço", diz Vitório Herklotz, proprietário da Fazenda São Paulo, que está sempre em busca de novas alternativas no setor do agronegócio.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Preencha o formulário abaixo:

Leia mais sobre este assunto: