Pecuária

Domingo, 20 de Janeiro de 2019, 08:08

Tamanho do texto A - A+

0 A 24 MESES

Mato Grosso vacina 99,8% do rebanho bovino contra aftosa

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

Foto: Francisco Alves/GCom-MT

aftosa

 

Mato Grosso imunizou na segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa 99,80% do rebanho bovino e bubalino de 0 a 24 meses. O percentual corresponde a 13.980.631 bovinos e bubalinos. Os números foram divulgados pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) no último dia 17 de janeiro.

Além dos animais com idade entre 0 e 24 meses, também foram vacinados entre novembro e meados de dezembro, período da campanha, bovinos e bubalinos de propriedades localizadas no baixo Pantanal mato-grossense.

"Nossas equipes estiveram presentes em 2,44% das propriedades. Realizamos mais de 500 mil vistorias nos animais durante a etapa de vacinação, o que demonstra a nossa força de trabalho nas propriedades rurais durante a campanha", pontua a presidente do Indea, Daniella Bueno.

Mato Grosso está livre da febre aftosa com vacinação há 23 anos e, de acordo com José Guaresqui, superintendente Federal de Agricultura em Mato Grosso (SFA-MT), o fato de o estado atingir novamente mais de 99% do rebanho na vacinação mostra que o produtor tem zelado pela sanidade.

"A cada etapa de vacinação vemos o crescimento do rebanho e o aumento da produção. Isso mostra que não só os controles de febre aftosa e outras doenças, o produtor também intensificado o manejo, e empregado tecnologia na produção. Também é preciso reconhecer os órgãos que fazem esse controle quem tem acompanhado e zelado pela sanidade do rebanho mato-grossense", diz Guaresqui.

Segundo o Indea, a partir de 2019 mudanças devem ser implantadas na execução da vacinação contra a febre aftosa e entre elas está a retirada do vírus “C” da composição da vacina e quanto a dosagem, que será reduzida de 5 mililitros para 2 mililitros, visando minimizar as reações nos locais de aplicação da vacina.

Outra mudança em 2019 é o fato de aproximadamente 1% do rebanho bovino e bubalino receber pela última vez a vacinação contra a aftosa na etapa de maio. Rondolândia, parte de Colniza, algumas propriedades de Comodoro, Juína e de Aripuanã, irão compor a zona livre de febre aftosa sem vacinação junto com os estados do Bloco I (Acre e Rondônia). A retirada total em todo o estado de Mato Grosso está prevista para 2021. Mato Grosso integra o Bloco V do Plano Estratégico da Febre Aftosa, que incluem Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Paraná, que devem realizar a última vacinação em maio de 2021.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei