Gastronomia

Domingo, 12 de Maio de 2019, 13:37

Tamanho do texto A - A+

SUCESSO

Recorde de público, Festival Braseiro recebeu mais de quatro mil pessoas de sete estados

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

Foto: Assessoria Festival Braseiro

Braseiro

 

Picanha, chorizo, dry aged, t-bone, salmão na prancha, ossobuco na brasa, hambúrguer, costela defumada, churrasco grego, pão de alho e abacaxi com canela e carne de jacaré. Estes foram alguns cortes e algumas iguarias encontradas por cerca de quatro mil pessoas de sete estados em meio as 53 estações de churrasco do Festival Braseiro que ocorreu em Cuiabá no dia 11 de maio.

O evento teve início às 12h de sábado (11) e nem mesmo a chuva momentânea e o calor intenso desanimaram o público que pode saborear o que há de melhor em carne bovina, suína, aves, peixes e até mesmo jacaré.

Foram quatro mil pessoas que circularam pelo Rancho Dourado, em Cuiabá, entre participantes e voluntários de sete estados. Além de Mato Grosso, haviam pessoas de estados como Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Bahia.

O Festival Braseiro serviu mais de cinco toneladas de carne variadas assadas em 53 estações. O evento contou com 350 churrasqueiros voluntários e terá toda a venda dos ingressos revertida para 16 entidades filantrópicas. A animação da festa ficou por conta de Brenno Reis e Marco Viola, Banda Texas Radio e Denner e Douglas.

O Festival em Cuiabá foi a 6ª edição do evento, sendo a 3ª na capital mato-grossense. A decisão dos churrasqueiros em passar cerca de 7 horas em frente as churrasqueiras foi de fato o cunho social.

Foto: Assessoria Festival Braseiro

Braseiro costela

 

A oportunidade de provar cortes de carne diferentes, bem como o cunho social, levou um público de cerca de 3,5 mil pessoas a comparecer no Rancho Dourado. Wesley Machado de Barradas, na Bahia, adiou o seu retorno em uma semana para participar do evento. Representante do setor do agronegócio ele revela que "Me recomendaram a ficar em Cuiabá para vir ao Braseiro, que é o evento que tem o melhor das carnes, e que seria interessante para conhecer a gastronomia de Mato Grosso. Então, decidi ficar mais uma semana e foi maravilhoso participar desse evento. Tudo muito bom, muito animado, alegre, a maminha com vinagrete de banana, nunca tinha visto, é diferenciada. Fiquei louco para comer a costela quando vi pela televisão. A questão da filantropia, de ajudar o próximo, é maravilhoso para o evento e para a cidade. É saber que estamos aqui nos divertindo, mas que alguém vai ser ajudado".

O Festival Braseiro foi ‘open food’ e open bar de cerveja, água e refrigerante. Neste ano, 16 instituições de Cuiabá e Várzea Grande serão beneficiadas com o lucro integral do evento para potencializar os trabalhos já realizados. Em contrapartida, as entidades disponibilizaram mais de 200 voluntários para trabalhar no evento.

"O Festival Braseiro é preparado com muito amor e carinho. Pessoas do Brasil nos prestigiam para ajudar 16 entidades, e apreciam muita comida boa, e para todos os gostos, bovina, ovina, suína, peixes, aves. Nós somos meros instrumentos, para o projeto acontecer, para ajudarmos as entidades, os voluntários são os responsáveis. A grande energia e combustível, para que esse projeto aconteça, depende de cada uma das pessoas que trabalham. Agradeço aos churrasqueiros, voluntários, aos que trabalharam no evento e aqueles que prestigiaram para ajudar quem mais precisa", agradeceu o presidente da Associação Braseiro, Marco Tulio Duarte.

Em meio aos churrasqueiros voluntários de diferentes localidades do Brasil, além dos profissionais mato-grossenses, estava Helvécio Maciel, de Goiânia, que junto com oito pessoas de Mato Grosso comandou a estação de Jacaré, uma das novidades desta edição.

"Somos o maior frigorifico de jacaré do mundo e que está em Corumbá. Participamos de eventos em todo o Brasil e pelo mundo. Sou conhecido pelas carnes exóticas, o jacaré, que criamos em cativeiro e temos em abundância. Vim de Campo Grande, depois daqui estou indo para Campinas, depois Manaus e Portugal", diz Helvécio Maciel.

Helvécio explica que a decisão em participar do Braseiro em Cuiabá foi justamente o cunho social que o evento possui e ainda garante que não há evento como esse no Brasil. "O Braseiro é o primeiro festival do Brasil com esse cunho social. Aqui tudo está bonito, as pessoas doam seu tempo, seu trabalho, você vem de coração. Nenhum evento no Brasil tem filantropia na realização e foi isso que me fez vir para o Braseiro. Hoje, tem 3 eventos no Brasil e decidimos vir para cá por conta do cunho social. Se fosse por dinheiro, iria para o outro".

Avalie esta matéria: Gostei +3 | Não gostei

Preencha o formulário abaixo:

Leia mais sobre este assunto: