Veículos

Sábado, 01 de Setembro de 2018, 09:24

Tamanho do texto A - A+

DESCONGELOU

Petrobras eleva em R$ 0,27 o preço do óleo diesel; consumidor já sente o impacto

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

petrobras

 

Congelado desde junho nas refinarias, em decorrência a greve dos caminhoneiros em maio, o litro do óleo diesel sofreu reajuste da Petrobras de 13% e o impacto já é sentido no bolso dos consumidores. A alta nas refinarias foi de R$ 0,27, com isso o litro passou de R$ 2,0316 para R$ 2,2964, um valor ainda sem tributos. O valor é válido até 29 de setembro com revisão a cada 30 dias.

O novo valor nas refinarias entrou em vigor no dia 31 de agosto. Conforme o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis de Mato Grosso (Sindipetróleo), o mercado é livre e o cabe aos postos a decisão de repassar ou não o reajuste aos consumidores.

Em nota, a Petrobras esclarece que o aumento no preço de comercialização do óleo diesel é "Em virtude da elevação dos preços do diesel no mercado internacional e da desvalorização do câmbio".

Ainda em nota a estatal afirma que o "valor reflete a média aritmética dos preços do diesel rodoviário, sem tributos, praticados pela Petrobras em suas refinarias e terminais no território brasileiro".

O diretor-executivo do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis de Mato Grosso (Sindipetróleo), Nelson Soares, frisa que é importante o consumidor entender a responsabilidade de cada agente do setor.

"Os postos de combustíveis estão repassando ao consumidor o aumento gerado nas distribuidoras e refinarias, uma ação que independe da revenda. Há distribuidoras repassando R$ 0,30". Ainda de acordo com o diretor-executivo do Sindipetróleo, poderá haver um reflexo desse aumento na base de cálculo do ICMS, o que fará o preço subir ainda mais a partir do dia 16 de setembro. "Apesar da concorrência e da preocupação dos postos em repassar o mínimo possível, como sempre, pesará no bolso do consumidor essa política equivocada que o Governo tem adotado".

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei