Indústria

Domingo, 07 de Abril de 2019, 16:44

Tamanho do texto A - A+

PESQUISA

Produção de etanol de batata-doce em Mato Grosso é estudada

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

Foto: Samantha dos Anjos Farias/Assessoria

Deputado Claudinei

 

A transformação de batata-doce em etanol é testada em Tangará da Serra. As pesquisas são realizadas pelo Centro Avançado de Melhoramento Genético de Batata Industrial (CAMGEBI) da empresa Aldo Biodiesel – Engenharia Associada. A inovação pode impulsionar a geração de emprego e renda com o uso da matéria-prima no município e região.

Segundo especialistas, o uso da batata-doce na produção do biocombustível pode favorecer a agricultura familiar. O pesquisador e responsável pelo CAMGEBI, Aldo Marcos Silva, pontua que a inovação tecnológica busca desenvolver uma plantação ecologicamente correta para a produção de biocombustíveis, seja etanol ou biodiesel. Além da batata-doce, milho e sorgo, por exemplo, também são fontes alternativas utilizadas.

A pesquisa do uso da batata-doce para a produção de etanol foi conhecida pelo deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) no último dia 02 de abril. O parlamentar esteve no Centro Avançado de Melhoramento Genético de Batata Industrial (CAMGEBI) da empresa Aldo Biodiesel – Engenharia Associada, em Tangará da Serra, juntamente com o prefeito em exercício do município, Renato Gouveia, e o secretário de agricultura, Ander Santos.

Conforme o pesquisador e responsável pelo CAMGEBI, Aldo Marcos Silva, hoje seis cultivares de batata-doce industrial conta com clones geneticamente melhorados e de alto teor de amido. Ele avalia que a produção chega a alcançar entre 80 a 120 toneladas por hectare.

“A ideia é que, após estes 15 anos de pesquisa, a gente possa criar uma plataforma para atrelar a agricultura familiar dentro do sistema Usina Flex”, explica Aldo.

Impressionado como potencial da batata-doce como matriz energética e a estrutura do centro de pesquisa o deputado Claudinei declarou estar disposto a apoiar os envolvidos na pesquisa e produção.

“Reconheço que é um projeto que vem agregar a fonte de renda e o trabalho do homem do campo. O mais interessante é a inovação tecnológica com o uso da batata-doce industrial para a produção de etanol”, comenta o parlamentar.

O pesquisador Aldo Marcos Silva revela esperar no futuro o "Selo Etanol Social", que contará com mecanismos que favoreçam a produção de energia renovável por meio da agricultura familiar. O pesquisador espera contar com o apoio do governo estadual para que a ideia se concretize.

Avalie esta matéria: Gostei +10 | Não gostei