Indústria

Terça-feira, 31 de Julho de 2018, 13:09

Tamanho do texto A - A+

EM JUNHO

Capacidade frigorífica instalada tem alta de 16,09 p.p., mas ainda preocupa o setor

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

Foto: Divulgação/Reprodução/Internet

Carne bovina

 

O aumento de 37,46% nos abates de bovinos em junho no comparativo com maio possibilitou uma alta e 16,09 pontos percentuais na capacidade frigorífica instalada em Mato Grosso. Tal incremento levou as unidades existentes no estado a registrarem o maior nível de utilização de 2018, estabelecendo-se em 57,07% em junho. As informações constam no Boletim Semanal da Bovinocultura, divulgado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) no último dia 30 de julho.

Apesar disso, o Imea pontua que um relatório do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) revela que duas plantas frigoríficas perderam a certificação do Selo de Inspeção Federal (SIF) no último mês, sendo uma em Cuiabá e outra em Vila Rica.

"Com isso, a capacidade total de abate de bovinos no Estado reduziu 4,92%, sendo capaz de abater 30,97 mil bovinos/dia. Ainda que apresente redução na capacidade, o nível de ociosidade nas plantas frigoríficas mato-grossenses é elevado (média histórica maior que 50%) e isso preocupa o setor", diz o Imea.

Em junho, considerando plantas com SIF e SISE (Serviço de Inspeção Sanitária de Produtos de Origem Animal), conforme dados do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), mostrados pelo Imea, a região Noroeste do estado foi a que maior capacidade instalada nas plantas frigoríficas registrou com 76,2% de utilização, enquanto o Sudeste mato-grossense utilizou apenas 47,8%.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei