Agricultura

Domingo, 10 de Novembro de 2019, 08:44

Tamanho do texto A - A+

PARA A SOJA

Intacta 2 Xtend depende da China para entrar no mercado na safra 2021/2022

Por: Viviane Petroli

Da Redação Mato Grosso Agro

Foto: Viviane Petroli/Mato Grosso Agro

Intacta 2 Xtend

 

Com as promessas de maior produtividade e tolerância ao Dicamba e ao Glifosato, a Bayer deu início aos testes com a nova geração da Intacta para a soja: a Intacta 2 Xtend. Os testes são realizados em mais de 250 propriedades de sojicultores espalhados pelo Brasil selecionados para o programa “Eleitos I2X”, cerca de 40 estão em Mato Grosso. A previsão da multinacional alemã é que o lançamento comercial da tecnologia ocorra para a safra 2021/2022, mas para isso é preciso aprovação dos países importadores da soja brasileira, mais precisamente a China.

De acordo com a Bayer, que está realizando dias de campo nas propriedades do programa “Eleitos I2X”, cujo ponta pé foi em Lucas do Rio Verde (MT) nos dias 04 e 05 de novembro, a tecnologia proporciona maior proteção contra as principais lagartas da soja, em especial a Helicoverpa armigera e a Spodoptera cosmioides, além de permitir um controle mais amplo de plantas daninhas.

Fábio Passos, gerente de lançamento da nova plataforma da Bayer, pontua que ao se combinar sementes de alta tecnologia, químicos eficientes e o uso de equipamentos e acessórios adequados para a aplicação, o produtor pode alcançar um novo patamar de produtividade na soja.

A Fundação Rio Verde, localizada em Lucas do Rio Verde, é uma das entidades de pesquisa parceiras da Bayer nos testes com a Intacta 2 Xtend. Conforme Fabio Pittelkow, diretor de pesquisa da Fundação Rio Verde, na safra 2018/2019 a fundação foi "desafiada" pela Bayer a fazer parte do time de "Experts". "Achamos interessante poder contribuir com informações e estudos. E, uma coisa que levamos em consideração em relação aos demais defensivos, no caso desta tecnologia em teste, é a distância da aplicação, ou seja, regulagem dos bicos dos pulverizadores e a nova formulação".

Tolerância ao Dicamba

A nova tecnologia da Bayer conta com tolerância ao Dicamba, um herbicida pós-emergente utilizado há mais de 30 anos em alguns países, como é o caso dos Estados Unidos. Tal herbicida, após o anuncio da Intacta 2 Xtend feito pela multinacional alemã, chegou a ser questionado pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), tanto que o presidente Antônio Galvan e o o consultor técnico da entidade, Wanderlei Dias Guerra, chegaram a ir aos Estados Unidos conversar com professores e alunos da universidade de Nebraska, em Lincoln e com produtores da região e todos, segundo a entidade, "deram alerta quanto ao uso do herbicida".

“Fomos muito bem recebidos por alunos e professores da universidade e também pelos produtores que nos passaram muitos detalhes sobre essa tecnologia. Todos têm a mesma preocupação quanto a volatilização do herbicida Dicamba”, pontuou Galvan ao retornar ao Brasil.

O gerente de lançamento da nova plataforma da Bayer, Fábio Passos, explica “Podendo ser aplicado no pré-plantio e na pós-emergência da cultura, o Dicamba apresenta alta eficiência no controle de plantas daninhas de folhas largas, como a buva, caruru, corda-de-viola e picão-preto, que causam um impacto relevante na produtividade das lavouras de soja no país e são difíceis de serem controladas com outros herbicidas disponíveis no mercado”.

Ainda conforme Passos, a Bayer no Brasil está trazendo uma nova formulação do Dicamba em comparação aos Estados Unidos, aonde problemas foram registrados. Tal formulação é desenvolvida de acordo com as características locais do Brasil.

Parceria com a Case IH

A Bayer para os testes da tecnologia Intacta 2 Xtend conta com a parceria da Case IH. A montadora de máquinas agrícolas está fornecendo todo o maquinário que está sendo utilizado durante o programa Eleitos I2X.


*A reportagem do Mato Grosso Agro viajou para Lucas do Rio Verde à convite da Bayer

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei